RENDA PASSIVA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Renda passiva
Renda passiva

Entendendo a Renda Passiva

A renda passiva nada mais é do que um rendimento, uma atividade ou uma ocupação que não demanda trabalho “ativo” contínuo e ainda assim é capaz de gerar rendimentos

Renda não é apenas aquilo que você obtém através do seu suado trabalho. Não, não é… Hoje eu vou mostrar para você que viver de renda passiva é possível. É praticamente um salário que parece sonho: pois, ele não exige esforço.

Esse tipo de recurso é diferente da chamada renda ativa: aquela em que você trabalha para receber. Esta provém de um trabalho contínuo, exige empenho e, se você interromper a rotina, não receberá mais nada. Nessa forma de geração de capital, você trabalha pelo dinheiro. São casos em que você recebe renda ativa:

  • Trabalhador remunerado: ao receber salários mensais em troca de seu esforço laboral;
  • Trabalho autônomo: pois estará dedicando tempo a um trabalho específico, seja ele no desenvolvimento de produtos ou entrega de serviços;
  • Empresário: pois está gerenciando a produção de uma equipe ou companhia que busca o lucro e, a partir disso, tem o chamado recebimento pró-labore;
  • Dedica tempo e esforço a qualquer atividade remunerada, até mesmo no caso do pedinte de semáforo (sim, isto é uma piada, mas talvez deixe o conceito mais claro).

Do outro lado do ringue temos uma opção interessante, que pode ser combinada com seus esforços diários.

Características da Renda Passiva

São características da renda passiva: não precisar trabalhar para ganhar dinheiro, requer um esforço inicial (e só!) e continua mesmo que você pare de trabalhar. É como plantar: você coloca a semente e colhe os frutos. Esta modalidade também é conhecida como renda residual. Aqui se aplica a expressão: faça seu dinheiro trabalhar por você.

27

Tipos de renda passiva ou residual

Logo de cara você pode ter matado [parte] da charada: renda passiva é aquela que provém de investimentos. Se fosse uma questão escolar, você acertaria a resposta pela metade. Por quê? A verdade é que há mais de uma fonte. Basicamente, são duas modalidades de renda passiva / residual:

  1. Com capital: é a rentabilidade obtida através de aplicações realizadas junto a instituições financeiras, investimentos em imóveis que geram renda através de aluguel, lucros de dividendos de empresas, ações, entre outros.
  2. Sem capital: proveniente de realizações anteriores, como rendimentos obtidos a partir de direitos autorais, licenças de uso de nomes e patentes, cliques em sites de internet, pagamentos de pensão, etc.

O que isso tudo significa?

Significa que, a menos que você seja músico, artista ou filho de pessoas famosas que desenvolveram um produto artístico ou tecnológico, sua renda passiva será proveniente da modalidade “com capital”.

Isto posto, como começar a ter renda uma passiva paralela à ativa?

Comece a economizar

Para começar a ter uma renda residual, você precisa deste capital.

Feito esse trabalho, é hora de eleger os melhores investimentos disponíveis para o seu perfil. Hoje vou apresentar alguns dos mais simples [e rentáveis] meios para gerar renda passiva.

Vamos a eles?

O melhor caminho para viver de renda passiva: os dividendos 

Dividendos são participações pagas pelas empresas aos acionistas da empresa. Cada companhia tem uma política específica de participação nos lucros. Quando a empresa dá lucro, ela divide esse montante com quem comprou ações ou tem uma fatia da companhia.

Minha metodologia de investimentos se baseia nisso, recebimento de dividendos. Me acompanhe no

Instagram, no Youtube ou no site.

Se preferir, clique em saiba mais e me envie um e-mail, será um prazer conversar com você.

Por lei, as companhias são obrigadas a distribuir dividendos do lucro líquido obtido durante um período de exercício. Esse pagamento pode ser mensal, trimestral, semestral ou anual. Tudo vai depender do estatuto social da organização.

Neste sentido, é importante saber: são as ações do tipo preferencial (PN), como diz o próprio nome, que têm preferência no recebimento dos dividendos. As ações do tipo ordinário (ON) também recebem, mas o dividendo dos preferencialistas deve ser 10% maior do que o atribuído por ação ordinária (está na lei!). Quem tem ações do tipo ON, contudo, tem direito a voto e decisões de longo prazo da companhia.

Outra vantagem das ações PN é o “direito de participar do dividendo a ser distribuído, correspondente a, pelo menos, 25% do lucro líquido do exercício”. Tudo isso está presente na Lei das SA em seu art. 17, §1º, que determina as vantagens das ações preferenciais. Em geral, as companhias brasileiras pagam esses 25%. Contudo, há aquelas que pagam bem mais, com o propósito de atrair investidores.

Resumindo: você precisa escolher os melhores momentos e as melhores ações para ter garantia de um bom dividendo.

 

 

Fonte: https://site.guiainvest.com.br/4-investimentos-para-gerar-renda-passiva/

Deixe seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Fique atualizado, inscrevendo-se em nosso boletim informativo.

Prometo não enviar Spam!

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x